Solidão

Num Sábado

Estou inútil, sem você,
nesta noite de sábado que começa.
Há as horas que terão que passar, que vão passando
e que me amedrontam
como o imenso deserto ao caminhante já sem forças.

Assisto à tarde que se vai, triste, oleosa,
como se a visse quadriculada, de uma cela,
sem direito à paisagem.E o pior é que hoje é sábado,
e antes da segunda em que te colho,
há sempre um domingo em que te perco.

J.G. de Araújo Jorge

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s